Est Sularus Oth Mithas

reports das aventuras de um grupo pelo mundo de krynn.

Nome:
Local: jacaraípe, espírito santo, Brazil

designer e rpgista.

sábado, 14 de março de 2009

ontem (sexta feira 13, não foi caso pensado) teve inicio o jogo de D&D 4e, baseado em dragonlance que estou mestrando.
na manhã antes do jogo ter inicio, o clérigo manda a noticia que não poderia comparecer, e, momentos antes do jogo, a ranger teve alguns problemas e não pode aparecer...

bem...
como primeiro post, vamos às apresentações:

meu nome é gedson, tenho 30 anos, sou formado em design, e atualmente trabalho numa gráfica, onde exerço minha profissão.

jogo rpg a uns 10 anos.
minha iniciação foi (pasmem) em um "live action"de vampiro.
depois disso, joguei mesas de vampiro, lobisomem... depois, descobri o ad&d, onde tive a maior campanha que já vi (3 anos e meio) e foi o sistema que mais gostei de jogar, talvez pela fantasia medieval, talvez por estar entre grandes amigos... (em outra oportunidade eu conto um pouco desta que foi a maior das aventuras que joguei).
a passagem para o d&d 3, foi uma evolução normal, (tá, nem tanto... ainda lembro das coisas estranhas como o meio-orc paladino que me assustavam um pouco...) acho que o jogo baldur's gate serviu pra divulgar bem a 3.0, que veio seguido pela 3,5...

a um tempo eu já ouço falar da 4ª edição de dungeon and dragons... tinha uma certa curiosidade, mas não tinha oportunidade de jogar, por estar morando no interior do estado.
no fim do ano de 2008, um antigo mestre convidou para uma sessão de 4ª, pra ver como era. achei tudo muito mais simples, mais direto, e como éramos jogadores experientes, não vi dificuldades interpretativas.
meu char é um wizard eladrin, bem controler (estou tentando aprender mais combos para ajudar meus companheiros na mesa ^^)

agora, falando no jogo:
a mesa é composta por 6 pc's: 3 strikers (bárbaro, rogue e ranger), 1 defender (guerreiro), 1 controler (wizard) e 1 leader (clérigo).

infelizmente muitas das minhas ideias de encontro foram frustradas por ter 2 personagens a menos da mesa, o que deixou inclusive o mago sem o primeiro encontro, já que ele teria a compania do clérigo, se eu deixasse o encontro mais fácil, seria fácil demais, e se eu mantivesse a dificuldade, ele morreria fácil.

cena 1:
a história começa com 2 personagens escravisados, sem nenhum equipamento, a não ser duas marretas para quebrar pedras.
um minotauro fêmea (ou seria minotaura?) que tinha treinamentos militares, e um meio-ogro barbaro, que tinha sido recém comprado pelo ogros do norte de krynn.
logo na primeira oportunidade, o jovem meio-ogro (que acredita que é apenas um humano um pouco maior que os outros) incita a minotaura a tentar a tentar a fugir.
durante a conversação, eles percebem que em um casebre próximo, um coletor de impostos goblin com 2 capangas estão raptando uma criança humana para ser vendida como escravo, já que a dona da casa não tinha como pagar os impostos.
aproveitando distração causado pela confusão da mulher, a minotaura parte para o confronto em um carga avassaladora, derrubando o goblim coletor de impostos (deixando o encontro mais facil do que deveria), o bárbaro termina com o tax collector e parte para os warriors, que não duram muito tempo.
ao derrotar os vigias, eles pegaram 200 peças de aço (valor do dinheiro inicial para todos os personagens) que estava com o goblim e fugiram, não sem antes deixar uma moeda para a pobre mulher; esta indica a cidade de palantas para os fugitivos, como sendo uma cidade grande e que dificilmente os captores os encontrariam.

cena 2:
um humano acorda com uma estranha dor na cabeça. ele não se lembra de nada. nem mesmo do nome que era chamado. ele se faz algumas perguntas que ninguém pode responder... ao olhar em volta, ele percebe que está em um bosque e com a cabeça ferida, ele começa a olhar as coisas que ele tem, e se perguntar o porque que ele carrega uma rapier e alguns outros instrumentos totalmente estranhos... ele se levanta e anda aleatoriamente, até perceber que está sendo observado por um lobo. depois de tentas se esconder deste lobo, ele é atacado por um outro, que veio por traz. com bastante dificuldade, ele derruba os dois (aqui tive de diminuir o numero de lobos, já que eu já tinha diminuído o hp deles, dado que a ranger deveria poder ajudar neste encontro, mas ainda assim, o humano ficou bloodied) eles conversam brevemente, e o humano decide seguir a kagonesti ao saber que ela estava indo para uma cidade.

cena 3:
um jovem wizard termina de sair da torre da alta feitiçaria, depois de conseguir o robe negro, começa a seguir em direção da cidade (onde teria o encontro combativo, que não rolou por falta do clérigo, porque se eu não diminuísse a dificuldade, era kill certa, e se eu diminuísse, seria muito easy).
ele chega na cidade e entra numa loja com uma tabuleta onde se veem as três luas. na loja, a principal impressão que ficou da loja foi o cheiro, convidativo e ao mesmo tempo repugnante. viam-se maços de especiarias e de ervas de cheiro penetrante alinhados junto de boiões que continham coisas mortas e apodrecidas. nas prateleiras, que forravam uma parede inteira, encontravam-se cuidadosamente dispostos livros de feitiços, alguns deles antigos e bolorentos. havia cofres de vidro, que guardavam jóias cintilantes. jenna pergunta se pode ajudar em algo, e com ar de superioridade, o recém formado mago meio que debocha de tudo ali, e compra apenas um punhado de componentes para rituais. Jenna olha e compara-o com raistlin, e diz para ir até a estalagem do derradeiro lar, em solace, e conhecer o quarto de raistlin.
ele vai para a primeira inn que encontra, onde contrata dois brutamontes para escoltá-lo até solace (conhecidentemente(?), estas duas criaturas eram os recém fugidos das pedreiras ogres).
finale:
o humano sem nome e a elfa avistam uma grande quantidade de goblins se dirigindo para as proximidades de palantas e começam a segui-los à distancia.
o mago e seus guarda-costas ouvem um barulho e o mago resolve demonstra seu poder para os brutamontes que o acompanham e seguem o barulho, até se aproximarem de um pelotão de criaturas prestes a saquear as fazendas mais retiradas de palantas.
era um grupo de 16 goblins no total, composto por um goblin hexer, um sharpshooter, dois warriors e doze cutters.
foi um combate muito interessante, tirando a minotaura, que só perdeu pontos de vida temporários, e o mago que usou o fey step, todos ficaram bloodied, o barbaro, quase cai inconsciente, o humano que já tinha gasto secondwinds na luta contra os lobos, era o que estava mais ferido.
resumo:
a minotaura ficou muito roubada, todo turno tinha muitos hp’s temporários, o barbaro dava muito dano (6d8 num encounter Power é muito absurdo).
o ultimo encontro foi bem divertido, todas as minions dando shits a cada miss, e o hexer fazendo com que este poder ficasse ainda mais absurdo. eu retirei do encontro um sharpshooter (por não ter o clérigo) o que fez a diferença pra um não “total part kill”.
durante a semana, irei postar os backgrounds de cada um dos player, com fichas e tudo mais. espero que tenham gostado e que comentem, para melhorar a estória cada vez mais.

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial